sábado, maio 28, 2011

O mundo da rádio...

Ah, estes meninos, estes meninos... De rir...

video


Assim vai o mundo...

quarta-feira, maio 11, 2011

O mundo dos automóveis...

No Courrier Internacional deste mês, uma reportagem do The Daily Telegraph fala-nos dos avanços no campo da condução sem motorista. Desde há muitos anos que se tem tentado construir um sistema (através de radares, sonares, etc.) que conseguisse conduzir um carro sem ser preciso um condutor. Já há vários sistemas, muito por causa da entrada na corrida de grandes marcas como a Ford e a Google, que conseguem controlar certos aspectos mas ainda com a supervisão de um humano. Aliás, um dos grandes problemas é a aceitação por parte dos homanos de abdicar da condução. Um caso testado foi o de um comboio de carros numa auto-estrada com um camião ou táxi no lugar da frente, e em que os carros se guiariam sozinhos. Reduziria acidentes e engarrafamentos, diminuiria o consumo e emissão de CO2 e permitiria aos ocupantes não se preocupar com a condução. Ora tem sido notado que os condutores estão relutantes em relação a isso.

Para quem me conhece sabe que sou completamente a favor que os carros andem sozinhos. Assim, não tinha de me preocupar em conduzir e ainda lia uns livros.

Assim vai o mundo...

segunda-feira, maio 09, 2011

O mundo da TV III...

Ora bem, efectivamente da noite televisiva de Domingo o que mais gostei foi do novo programa da RTP "Último a Sair". Sou suspeito porque gosto muito do Frederico Pombares e João Quadros (principais argumentistas) e do Bruno Nogueira, Miguel Guilherme e Rui Unas (alguns dos participantes), mas a verdade é que este programa que esteve envolto em mistério e que goza à cara cheia com os reality shows é uma pedrada no charco do humor português. Miguel Guilherme é exímio na sua mimificação de Júlia Pinheiro / Teresa Gulherme! Luis Pereira de Sousa está de volta ao pequeno ecrã no papel tantas vezes parvo do repórter de exteriores que acompanha os concorrentes. A mescla dos pseudo-concorrentes junta Luciana Abreu, Rui Unas, palhaço Batatinha, Nogueira ou a personagem conhecido como "a gorda". É óbvia a intenção de satirizar todos os programas das outras estações e fá-lo sem apelo nem agravo com um humor cáustico. O primeiro programa ficou logo marcado pela expulsão de Marco Borges (pela segunda vez no seu historial televisivo) por agressão! Faz lembrar alguma coisa? Claro que sim. Este é de facto o progama de domingo à noite que me faz esperar pelo fim de semana. Vejam e comprovem...

Assim vai o mundo...

O mundo da TV II...

Ontem começou o programa "Perdidos na Tribo"! Eu nem vou falar da personagem José Castelo Branco porque tenho imensa pena que uma grande parte do país ache piada a uma pessoa que ainda ontem chamou servo a um membro da tribo africana. Enfim, quem nunca teve berço, nunca o terá. Falo mesmo das outras pessoas que parecem ter ido de férias e ainda não se aperceberam onde se meteram! O episódio de ontem mostrou a chegada e o quanto tudo é fantástico e mágico. Mas tenho a certeza absoluta que os próximos episódios vão mostrar o quanto estamos longe de entender certos rituais e modos de viver. A parte do papel da mulher, da divisão de tarefas, dos rituais de passagem à idade adulta, a alimentação, etc, são tudo coisas que tenho a certeza que vão chocar os telespectadores e fazer sofrer os concorrentes. Não me parece que ajude o facto de serem famosos ou pseudo-famosos, porque não vão estar dispostos a assimilar certos hábitos culturais.

Assim vai o mundo...

O mundo da tv I...

Ontem deu o segundo episódio de Peso Pesado! Ora bem, eu fui um seguidor atento do programa original norte-americano. Por muito que me custe o programa portugués é uma cópia mal tirada. E é assim por muitas razões.

- Julia Pinheiro não é uma apresentadora sóbria. Mesmo quando tenta, tem sempre uma análise pseudo-psicológica sobre o que acha que está a acontecer! A apresentadora do concurso original é sóbria, raramente dá palpites e permite aos concorrentes dizerem efectivamente o que pensam. Mas Júlia gosta de audiência e de drama, por isso enfatiza aquilo que não tem de enfatizar: o facto de ser um jogo!

- Os treinadores não tem a competência psicodesportiva dos treinadores originais. Não se pedia que fossem os melhores do mundo, mas que fossem fortes na componente comunicativa, porque muitos dos problemas daquelas pessoas é acima de tudo a nível mental.

- Os concorrentes, logo numa primeira semana, encararam aquilo como um jogo e como um meio de chegar ao prémio monetário. A maioria não vê isto como uma oportunidade de mudar radicalmente o seu aspecto físico e saúde, mas sim como um meio para atingir o fim monetário. Tenho pena que parte da culpa seja da produção, pois introduziu uma modernice portuguesa que impede um concorrente de ganhar o prémio final.

- Para quem possui um índice de massa gorda tão elevado, os concorrentes perderam muito pouco peso na primeira semana. Não sei se os treinos foram pouco puxados ou se os concorrentes se desleixaram, a verdade é que o concorrente que mais perdeu peso perdeu 5kg (a título de exemplo, houve concorrentes norte americanos a perderem 15 kg na mesma primeira semana).

- A produção é fraca! Os episódios são arrastados e dão mais importancia ao diz-que-disse do que ao treino em si. Parece que em Portugal gosta-se mais de falar que trabalhar.

Tenho pena de ser esta a minha análise, porque estava com bastante expectativa sobre o programa e o quanto podia alterar a nossa dieta alimentar e frequência de actividade física.

Assim vai o mundo...